Home 2017 novembro 11 A Gloriosa Habitação

A Gloriosa Habitação

“Senhor, tu tens sido o nosso refúgio”.

O Cristão não conhece nenhuma mudança no que diz respeito a Deus. Ele pode ser rico hoje, e pobre amanhã; ele pode estar doente hoje e saudável amanhã; ele pode estar em felicidade hoje, e amanhã ele pode estar angustiado; mas não há nenhuma mudança no que diz respeito à sua relação com Deus.

Se Ele me amava ontem, Ele me ama hoje. Não sou nem melhor nem pior em Deus do que eu já fui.

Que as perspectivas sejam arruinadas, que as esperanças sejam golpeadas, que a alegria murche, que o bolor destrua todas as coisas, eu não perdi nada do que eu tenho em Deus. Ele é a minha habitação forte para o qual eu posso recorrer continuamente.

O Cristão nunca se torna mais pobre, e nem mais rico, em relação a Deus. ‘Aqui’, ele pode dizer, ‘está uma coisa que nunca pode morrer ou mudar.

Na testa do Eterno nunca há uma ruga; Seu cabelo não embranquece pela idade; Seu braço não é paralisado pela fraqueza; Seu coração não muda em Suas afeições; Sua vontade não varia em Seu propósito; Ele é o imutável Jeová, permanecendo firme e eterno…

Cristão! Deus é a sua habitação, nesse sentido, Ele é o seu repouso; e você nunca encontrará descanso, exceto nEle. Eu desafio um homem que não tem a Deus, se ele tem uma alma em repouso. Aquele que não tem Jesus por seu Salvador, será sempre um espírito inquieto.

Alguns de vocês têm tentado encontrar descanso fora de Deus. Vocês procuraram encontrá-lo em sua riqueza; mas vocês aferroaram a sua cabeça quando a deitaram sobre o travesseiro. Vocês o procuraram em um amigo, mas o braço desse amigo tem sido uma cana quebrada, onde você esperava que fosse uma muralha de força. Vocês nunca encontrarão descanso, exceto em Deus; não há refúgio, senão nEle. Oh! o descanso e calma estão ali, nEle!

É mais do que descanso,
mais do que calma,
mais do que quietude;

mais profundo do que o calmaria morta do silencioso mar, em suas profundezas extremas, que não é perturbada pela mais leve ondulação, e ventos nunca podem misturar-se.

Existe uma santa calma e doce repouso que somente o Cristão conhece, algo como as estrelas adormecidas lá em cima na cama do firmamento; ou como o descanso seráfico, que nós podemos supor que os espíritos beatificados possuem quando estão diante do trono, continuamente em reverência; há um descanso tão profundo e calmo, tão quieto e silencioso, tão profundo, que não encontramos palavras para descrevê-lo.

Ah! Meu amado, você já encontrou-se em Deus para estar em casa?

 

Trecho do Sermão Nº 46, A Gloriosa Habitação, por C. H. Spurgeon

Author: Fernanda

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *